A Nortenha

A NORTENHA

Fundada no início dos anos 60, a Recauchutagem Nortenha inicia a sua actividade na área da recauchutagem e comércio de pneus.

Ao longo dos anos, a empresa levou a cabo investimentos importantes, onde se destacam a criação de uma rede de lojas, a dinamização de uma rede de distribuição com cobertura nacional e a implantação de uma nova unidade fabril em Penafiel.

A Recauchutagem Nortenha tem como missão providenciar soluções integradas aos utilizadores de pneus. Num ambiente de mercado cada vez mais competitivo e exigente, a Recauchutagem Nortenha sustenta a sua actuação num comportamento idóneo perante a Comunidade em que se insere, na garantia da qualidade dos produtos e serviços prestados, promovendo a associação dos produtos finais com o respeito pela Natureza e com uma utilização responsável dos recursos.

Na perspectiva de oferecer soluções integradas e completas para a gestão do pneu, a Recauchutagem Nortenha contribui, nas suas várias vertentes de produção, para a redução da quantidade de pneus usados que integram o fluxo de resíduos e para a preservação dos recursos naturais através de processos de valorização material e energética.

A Recauchutagem Nortenha intervém deste modo activamente em todas as fases do ciclo de vida do pneu, transformando e criando recursos através de actividades de reciclagem e valorização.

A Nortenha desenvolve a sua actividade:

> Reduzindo a quantidade de pneus usados gerados, concebendo pneus com o maior rendimento quilométrico possível e prestando serviços de assistência após venda que promovam uma correcta utilização e manutenção dos pneus, de forma a prolongar a sua vida útil e criar condições que potenciem a recauchutabilidade das carcaças;

> recauchutando as carcaças que reúnem as condições técnicas exigidas no âmbito dos Regulamentos UNECE aplicáveis ao sector, reduzindo a quantidade de pneus usados que integram o fluxo de resíduos através da reintrodução do pneu no seu ciclo de vida original, com preservação de recursos naturais;

> recuperando o elevado conteúdo energético dos pneus impróprios para recauchutagem;

> fabricando pavimentos de segurança a partir do granulado de borracha, evitando o recurso a borrachas virgens.

1976 Exercendo em nome individual, desde o início dos anos 60, a sua actividade profissional na área da recauchutagem e comércio de pneus, António da Silva Gomes, em sociedade com a sua esposa Maria da Conceição Fernandes da Silva, funda em 1976 a Recauchutagem Nortenha.


1984 Entre 1984 e 1988, a entrada para a gestão da empresa dos filhos dos fundadores marca uma nova fase na vida da Nortenha. Deu-se início a um período de investimentos importantes onde se destacam a construção de uma nova loja em Penafiel, a aquisição de novo equipamento produtivo para a recauchutagem e a abertura de lojas em Paredes, Lousada, Amarante e Lixa.

Seguiu-se uma nova fase de investimentos na área industrial que obrigou a mudança de instalações. A capacidade instalada permitiu à empresa alargar a cobertura geográfica da sua distribuição, que limitando-se até então à zona Norte, passou a abranger todo o país. Em paralelo, com aumento da cobertura da actividade de distribuição, a rede de retalho também cresceu, com a abertura de lojas em Lordelo e Alpendurada.


1995 Em 1995 teve início um novo ciclo de investimentos fabris com a construção da Unidade Fabril de Urrô (UFU), consistindo numa Unidade de Recauchutagem e numa Unidade de Valorização Energética de Pneus (UVEP), que permite a produção de energia eléctrica a partir de pneus usados que não podem ser recauchutados e outros resíduos de borracha.



1996 A nova Unidade de Recauchutagem arrancou em 1996, com um novo layout, linhas de produção independentes e mais racionais, permitindo uma melhoria da produtividade, dos prazos de resposta às solicitações dos clientes e possibilitando uma maior capacidade de produção.

O corolário destes anos de investimento em meios humanos e materiais foram os prémios "Best of Show" obtidos por pneus Nortenha Ecológico em 1997 e 1999 em concursos organizados pela ITRA (International Tire and Rubber Association) nos Estados Unidos.


1997 A Nortenha foi também distinguida com o prémio PME Excelência Indústria durante três anos consecutivos - 1997, 1998 e 1999.

Em 1999 a empresa introduziu um inovador serviço móvel, destinado ao segmento de frotas, que permite realizar os serviços de montagem e desmontagem, equilibragem e alinhamentos nas instalações dos próprios clientes.

1999 Para melhorar a sua capacidade técnica, a Nortenha investiu em 1999 e 2000 num laboratório de ensaio de pneus e em novos equipamentos para controlo da qualidade dos compostos de borracha, em projecto apoiado pelo programa ICPME.


2000 Em Dezembro do ano 2000, o Sistema AQual implementado na UFU, aplicável à produção de pneus recauchutados, serviços de recauchutagem, reparação de pneus e misturação de borracha, foi certificado segundo a ISO 9002:1995. O Sistema AQual, de forma a dar cumprimento as revisões que os referenciais normativos para os Sistemas de Gestão da Qualidade froam sofrendo, ao longo dos anos foi sendo adaptado estando atualmente certificado de acordo com a ISO 9001:2015 com o âmbito :

Conceção, desenvolvimento e produção de pneus recauchutados.

Serviço de recauchutagem e reparação de pneus.

Misturação de borrachas.

Produção de pavimentos em borracha.

Consultar o Certificado TÜV


2001 Durante o ano de 2001, as actividades logísticas foram integradas na Unidade de Urrô que passou a dispor de um Centro Logístico onde foram concentradas as actividades de armazenamento e distribuição de pneus recauchutados, pneus novos e outras mercadorias.


2004 No início do ano 2004, a Recauchutagem Nortenha obteve a homologação da sua unidade fabril para a produção de “Pneus recauchutados a utilizar nos automóveis ligeiros de passageiros e seus reboques” (108R020004) e “Pneus recauchutados a utilizar nos automóveis de mercadorias, pesados de passageiros e respectivos reboques” (109R020005), no âmbito dos Regulamentos n.º 108 e n.º 109 da Comissão Económica para a Europa das Nações Unidas, respectivamente.

Consultar o Certificado Homologação 108R02004 Certificado Homologação 108R02004

Consultar o Certificado Homologação 109R02005 Certificado Homologação 109R02005

A meados do mês de Fevereiro de 2004, a Unidade de Valorização Energética de Pneus obteve, por parte do Instituto dos Resíduos, autorização prévia para a operação de valorização energética de pneus usados e outros resíduos de borracha.

Ainda durante o ano 2004 foram celebrados com a Valorpneu - Sociedade de Gestão de Pneus Usados, os contratos "Produtor", "Recauchutador" e "Valorizador", preconizados no D.L. 111/2001 de 6 de Abril, que estabelece os princípios e as normas aplicáveis à gestão de pneus e pneus usados.


2005 Em finais de 2005, apostou-se no alargamento da rede de retalho com a abertura de uma nova loja na Zona Industrial I da Maia, cobrindo uma zona geográfica de elevado potencial.


2006 Em Fevereiro de 2006 foi concedida à Unidade de Valorização Energética a Licença de Exploração n.º 2/2006/INR.

No início de 2006, a empresa introduz uma nova actividade produtiva nas suas instalações fabris, a produção de pavimentos anti-choque, destinados essencialmente a aplicações em parques infantis. Estes pavimentos são fabricados com recurso a granulado de borracha resultante de processos de reciclagem de pneus em fim de vida.

Em Maio de 2006 a empresa adopta uma nova imagem corporativa, modernizando-a e tornando-a mais coerente com as suas orientações estratégicas.

No decurso do ano 2006 a empresa, na perspectiva de promover a melhoria dos seus produtos, introduz novos equipamentos produtivos na linha de fabrico de pneus pesados.

Ainda durante o ano 2006, a Nortenha implementou o Sistema ABC (Activity Based Cost), uma ferramenta de gestão que tem por base a melhoria do processo de gestão e o apuramento dos custos na óptica da contribuição, com o objectivo último o acompanhamento da performance financeira e não financeira dos diferentes sectores de negócio da empresa.


A Nortenha aderiu à campanha nacional “Compro o que é nosso”, cujo objectivo é a sensibilização para o consumo de produtos de marcas nacionais, valorizando a produção nacional, a criatividade e empreendedorismo dos empresários portugueses.


O desempenho económico-financeiro do exercício de 2006 da empresa foi reconhecido no âmbito programa FINCRESCE, tendo sido atribuído à Nortenha o estatuto Empresa PME Líder.


2007 Durante o ano 2007 deu-se início a uma série de investimentos relevantes para a unidade de recauchutagem, que incidem particularmente na aquisição de novos equipamentos produtivos destinados à linha de pneus OTR, enquadrados numa oportunidade de negócio associada à comercialização de pneus de grandes dimensões na Península Ibérica.

Em meados de 2007, deu-se continuidade ao alargamento da rede de retalho com a abertura de uma nova loja na Zona Industrial do Porto, reforçando a cobertura da área metropolitana do Porto.


2008 Em 2008, a Nortenha dotou-se da capacidade de recauchutar os maiores pneus existentes no mercado, com a aquisição de um novo equipamento de tecnologia de ponta de grosagem de pneus, capaz de processar pneus até jante 63".

Ainda em 2008, a Recauchutagem Nortenha colaborou no projecto “Caça ao Crocodilo” ("Crocodilo" é o nome pelo qual são vulgarmente designados os restos de pneus encontrados nas estradas), promovido pela ANIRP e Universidade do Minho, com o patrocínio da Valorpneu, com o objectivo de identificar as causas das falhas dos pneus e contribuir para uma maior segurança rodoviária.

No término do ano de 2008, a Unidade de Valorização Energética obteve o averbamento à sua Licença de Exploração, autorizando-a à valorização energética de novas tipologias de resíduos não perigosos: resíduos têxteis, resíduos de plástico, CDR de plásticos, têxteis e madeira e fluff de VFV.


2009 Em 2009, a rede de retalho foi expandida para a região do Vale do Ave, com a abertura da 10ª loja da rede em Vila Nova de Famalicão.